Google
 
 

Aspectos Sócio – Econômicos do Piauí

 
     01. RECURSOS NATURAIS:

 

          O Piauiense aproveita os produtos oferecidos pela natureza praticando o extrativismo, de grande proveito econômico para o estado e o país. 

 

O extrativismo piauiense é de origem vegetal, mineral e animal, ocorrendo onde dominam as matas de carnaúba, babaçu, tucum, oiticica, castanha – de - caju, madeira de lei e plantas medicinais. 

 

A carnaúba é o principal produto extrativo do Piauí. Dela extrai-se o pó que dá a cera (de grande valor comercial), a madeira e a palha que servem para a construção de casas rústicas e confecção de certos utensílios domésticos. Os vastos carnaubais se acham localizados, principalmente, nos vales dos rios Longá, Poti e Canindé. 

 

O babaçu se acha localizado ao longo do Parnaíba, desde Luzilândia até próximo de suas nascentes, o babaçu pelo grande número de produtos derivados que oferece, apresenta grande perspectivas de exploração e de industrialização. Entre os seus derivados destacam-se o óleo, utilizado na alimentação humana. As tortas, isto é, os resíduos das amêndoas de coco, servem para balancear as rações do gado. As cascas servem como adubo e ainda fornecem os seguintes subprodutos: tinta para ferro, breu, piche, derivados de alcatrão, carvão e outros. Do babaçu, assim como da carnaúba, também se extrai a celulose. 

 

O tucum é encontrado principalmente na região dos cerrados. De suas amêndoas extrai-se o óleo alimentício e de suas folhas retira-se uma fibra utilizada em produtos artesanais. 

 

A oiticica é uma planta característica das caatingas. Está localizada nas margens dos rios e riachos e é considerada como o vegetal de maior parte na caatinga. A oiticica fornece óleo secativo empregado largamente na indústria de vernizes, tintas e ainda, na fábrica de sabão. 

 

A castanha – de – caju é o produto extrativo que, no Piauí, mais tem crescido em quantidade e valor da produção. 

 

Além dos vegetais citados, as madeiras de lei também são encontradas em nosso estado, sendo as mais importantes: aroeira, cedro, angico, erva – cidreira e outras. 

         Dentre as plantas medicinais encontradas em grande quantidade no Piauí destacam-se: jaborandi, hortelã,velame, mastruço, jatobá, angico, erva - cidreira e outras. 
 
     02. Extrativismo mineral: 

 

         Pesquisas têm demonstrado que possuímos no nosso estado grandes reservas de minério, algumas já em exploração: mármore, no município de Pio IX, opala em Pedro II, diamante , em Gilbués e Monte Alegre do Piauí, argila, em Oeiras, calcário, em regeneração, Amarante e Francisco Aires, manganês, em Domingos Mourão, Parnaguá e Cristalândia do Piauí, níquel em São João do Piauí, talco, em São Raimundo Nonato. 

O Piauí possui também os seguintes minérios: urânio, carvão mineral, cobre, sal-gema, amianto e outros.  

     03. Extrativismo animal:

 

O Extrativismo animal é feito através da pesca e da caça. 

A pesca é realizada na água do mar, onde são encontrados vários tipos de peixe e crustáceos, e nas águas dos rios, açude e lagoas. Pesca no Piauí, quase sempre tem caráter de subsistência, sendo uma pesca do tipo artesanal. 

A caça é feita nas matas, onde a fauna é representada por animais de várias espécies. 

A fauna do Estado do Piauí, em virtude dos desmatamentos, das grandes queimadas e das caçadas desenfreadas, vem a cada ano desaparecendo. A caça é praticada tanto como meio de sobrevivência como por caçadores profissionais, voltados para comercialização. 

 
     04. Agricultura: 

 

A agricultura constitui a atividade econômica mais importante do Piauí. 

Nossa agricultura é chamada pequena lavoura, porque o preparo da terra, de um modo geral, anda é praticado por enxadas, facões e foices. No entanto, em muitos lugares já se utilizam arados e tratores. 

Apesar dessas dificuldades, das secas e das pragas que a prejudicam, ela sustenta a população de todo o estado, principalmente no setor de cereais: arroz, feijão, milho, mandioca, algodão e cana – de – açúcar, que concorre com quase três quartos da renda obtida através da produção agrícolas. 

Neste setor, estudos foram realizados no sentido de introduzir ou ampliar a cultura de produtos de alto valor comercial que se adaptam bem ao nosso meio físico; mamona, caju, soja, alho, algodão, cana de mandioca. 

O município de Picos é o maior centro agrícola do Estado, sendo considerado o “celeiro” do Piauí. 

A forma de exploração da terra com queimadas, a cada ano agrícola, vem destruindo a cobertura vegetal nativa e diminuindo o habitual natural da flora silvestre. 

Em todo o estado pratica-se atividades agrícolas. As principais culturas exploradas são: o arroz, o algodão, o milho, o feijão, a mandioca, a cana – de – açúcar e hortigranjeiros diversos, embora a maior parte dos hortigranjeiros consumidos na capital seja importada de outros estados, principalmente do Ceará e Bahia. 

 
     05. Pecuária: 

 

Pecuária é o tratamento e a criação de gado. Cavalos, porcos, bois, carneiros. São animais considerados como gado. 

A pecuária já foi a principal atividade econômica do Piauí. Hoje em dia ainda é bastante ativa. Daí o Piauí ainda ser considerado um estado pecuarista. 

Principais rebanhos: caprinos, bovinos, suínos, ovinos. Além desses rebanhos, destacam-se os eqüinos, muares e asininos. 

A pecuária é mais desenvolvida no interior do estado. 

Os rebanhos apresentam tendência a se desenvolver, apesar da falta de assistência e aparelhamento técnico para industrialização do gado, meios de transporte, financiamentos e racionalidade na criação. 

Por várias razões, os rebanhos são criados em regime extensivo, soltos em campos, de modo a livrar os criadores das preocupações de alimentação dos animais. 

Os bovinos são geralmente de pequeno porte, predominando o gado conhecido como “pé – duro” e são criados para o corte. 

Os caprinos são os animais que mais se adaptam à região. 

Os pecuaristas procuram melhorar seus rebanhos, importando animais de raça pura. 

A industrialização da carne bovina, suína e caprina é feita no Frigorífico do Piauí S/A – FRIPISA, que desempenha importante papel na economia piauiense. 

A bovinocultura vem sendo objeto de atenção especial por parte da Secretaria de Agricultura e demais órgãos a ela ligados. 

 
    06. Avicultura:

          O Piauí é grande produtor de aves e ovos da região Nordeste. Isto pode concorrer para o desenvolvimento dos produtos avícolas. 

 
     07. Apicultura: 

A apicultura do Piauí é também das mais representativas atividades do Nordeste, sendo muito grande a produção de mel e de cera.

Picos ganhou o título da Capital Nacional do Mel de Abelha, em virtude de sua grande produção no gênero. 

 
      08. Pesca: 

No nosso estado a pesca é uma atividade tradicional, sendo praticada o ano inteiro em alguns lugares. A pesca é feita em maior escala nos rios Parnaíba e Poti, nas lagoas, açudes e oceano.